Blog

Horas Complementares

Confira como adquirir horas complementares online

As horas complementares na faculdade são imprescindíveis para se conseguir o diploma. Frequentar uma faculdade é o sonho da grande maioria das pessoas, mas se engana quem pensa que apenas frequentar as aulas já será o suficiente para garantir um futuro de sucesso. 

Assim como em qualquer outro período do ensino, uma graduação também exige muito do aluno e, ao contrário dos demais, não fica restrito à instituição. 

Inclusive, uma das exigências são as tais horas complementares, que podem virar uma tremenda dor de cabeça para o aluno que não se preparar desde cedo.

Pois é, logo ao chegar na faculdade é comum os alunos ficarem meio perdidos no que diz respeito às horas complementares.

Mas, afinal, o que são horas complementares?

Então, essas horas complementares nada mais são que atividades extracurriculares obrigatórias para chegar ao número total de horas exigidas pelo MEC, as quais não devem fazer parte do currículo escolar.

Essa horas/atividades complementares, na verdade, não visam ser um obstáculo para o aluno, mas sim, uma forma de enriquecer seu currículo com experiências e vivências acadêmicas internas ou externas. 

E mesmo não fazendo parte, diretamente, das disciplinas do curso, elas precisam ter uma ligação com o curso, como, por exemplo, atividades de extensão, participação em palestras, pesquisa, eventos, publicações, estágios e cursos presenciais e online.

Horas Complementares
Horas Complementares

Onde fazer essas horas complementares?

Antes de mais nada, é fundamental que o aluno, assim que chegue à faculdade, procure obter informações sobre essas horas complementares, até porque, os critérios variam de instituição para instituição.

Mas, no geral, essas horas complementares podem ser preenchidas, como foi dito, até dentro da própria instituição, desde que fora do curso a que esteja ligado.

É preciso levar em conta que é obrigatório o cumprimento dessas horas, por isso, elas devem ser documentadas, comprovando a participação do aluno.

Uma dica é procurar não deixar para complementar essas horas ao final do curso, já que o aluno, então, estará envolvido com outras questões e ficará bem mais difícil dispor de tempo para se dedicar a atividades extracurriculares. 

Mais uma vez, vale lembrar que é preciso que a escolha da atividade seja coerente com o curso de graduação. Ou seja, não adianta fazer Psicologia e investir em uma palestra sobre culinária.

Anote essas dicas: palestras, congressos e simpósios são ótimas opções para preencher as horas complementares, sem falar que estará agregando valor ao curso de graduação. 

Cursos online são aceitos?

Então, como já foi dito, os critérios são diferentes de instituição para instituição, embora, de uma forma geral, os cursos online têm sido cada vez mais valorizados e procurados como forma de preencher essas horas complementares.

Ideal, principalmente, para alunos que não têm tempo, nem recursos financeiros para investir em cursos presenciais, os cursos online tem sido uma saída prática, flexível e rápida, e isso porque já existem na internet muitos cursos online gratuitos e que oferecem certificado ao final.

Qual curso online escolher?

Certamente, na hora de escolher o curso online é preciso usar  o bom senso, procurar algum bem conhecido e que ainda ofereça certificado ao final.

A plataforma Cursos Rápidos Grátis, cursos online, sem dúvida, é um bom exemplo de como preencher as horas complementares com cursos que geram certificados, tudo de forma prática e sem precisar sair de casa, com o aluno podendo estudar em qualquer horário, sem se desesperar.

Mais uma vez, quanto mais cedo você investir nas horas complementares, mais rapidamente estará se livrando de uma possível dor de cabeça, por isso, não perca mais tempo, acesse agora mesmo a plataforma Cursos Rápidos Grátis e escolha o curso, ou cursos, de seu interesse. 

Peixes aliados perfeitos da saude e dieta

Peixes: Alimentação saudável em sua viagem

Não é para menos que o peixe é o aliado perfeito das dietas, isso porque apesar de possuir poucas calorias, é um alimento muito nutritivo, independentemente do tipo.

Proteínas, iodo, fósforo, cálcio, vitaminas A, E, do complexo B e D, só para citar alguns nutrientes, embora, sem dúvida, seu principal nutriente seja o ômega 3.

Sem dúvida, suas propriedades nutricionais e seus benefícios ao nosso organismo, fazem do peixe uma ótima opção de proteína para fazer parte de uma alimentação equilibrada durante o ano inteiro. 

Vale saber que, apesar de todos esses benefícios, e de vivermos em um país tropical, em média, cada brasileiro consome menos de 7 quilos de peixe por ano, sendo que a quantidade mínima recomendada pela Organização Mundial de Saúde é de 12 quilos.

Veja esse site que te ensina a fazer bastante receitas deliciosas:

https://www.receitaspreferidas.com/category/peixes-frutos-do-mar/

O fato é que no Brasil é enorme o número de pessoas resistentes à carne branca.Carne de peixe e saúde

De acordo com uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Harvard, pessoas com mais de 65 anos que têm o hábito de comer peixes ricos em ômega 3, possuem 35% menos chances de morrer por doenças cardiovasculares, e 27% menos de morrer por qualquer causa durante o período da pesquisa.

Enquanto outro estudo, realizado pelo Statens Serum Institut, de Copenhagen, e publicado na revista da Associação Americana do Coração, demonstrou que mulheres que nunca, ou raramente, ingeriram pescados apresentaram 50% mais problemas cardiovasculares do que as que consumiam o alimento regularmente, e 90% a mais em relação às mulheres que comiam peixes ricos em ômega 3 semanalmente.

Portanto, a dica é procurar incluir o peixe, regularmente, na alimentação e, com certeza, irá garantir mais saúde e uma vida mais longa.

Colocando o peixe na rotina

Com certeza, tudo é questão de costume, se começar a incluir , aos poucos, o peixe no cardápio do dia a dia, em questão de pouco tempo, já estará familiarizada com esse tipo de carne, havendo muitas formas de prepará-la.

Minha receita preferida é tilapia muito fácil de fazer e deliciosa.

Vale destacar que a forma de preparo do peixe pode influenciar muito na quantidade de calorias e gorduras, assim,  a pele do animal não deve ser retirada, já que é sua proteção contra o ressecamento, preservando o suco natural e o sabor do peixe

E para garantir que a inclusão do peixe no cardápio não acabe prejudicando sua saúde, é preciso, também, saber escolhê-lo. Confira algumas dicas: Como comprar Peixe fresco

  • Olhos: os olhos do peixe devem ser transparentes e brilhantes, como se ele ainda estivesse vivo, se ele já estiver muito tempo no gelo, seus olhos estarão achatados e sem brilho.
  • Corpo: precisa estar liso, com a pele intacta e a carne firme ao pressionarmos o dedo sobre ela.
  • Guelras: precisam estar brilhantes e vermelha, clara, sem marcas cinzentas, além de estar brilhante e úmida ao tato. Lembrando que a cor pode variar, dependendo das características de cada espécie.
  • Escamas: precisam estar brilhantes e firmes, presas ao corpo e nunca embaçadas e opacas. Procure passar a mão no peixe e verificar se as escamas estão se soltando facilmente. Se estiverem, não compre.
  • Odor:  não deve ser forte ou azedo, parecido com iodo ou amônia, sendo sinal de que já passou da data de validade.

No mais, na hora de preparar, há muitas receitas bem simples de vários pratos à base de peixes na Internet, como podemos ver em: https://www.receitaspreferidas.com/

Como obter dupla cidadania e quais os documentos necessários

Se você nasceu em um país, mas vive em outro, convém adquirir dupla cidadania, o que permitirá que você tenha os direitos e obrigações nos dois países. Para fazer isso, você deve seguir uma série de procedimentos. Saiba como obter a dupla cidadania e quais os documentos necessários.

Como obter a dupla cidadania – Documentação

Se você decidiu obter dupla cidadania, deve executar as etapas a seguir, pois existem diferentes maneiras de obtê-la.

A cidadania por residência pode acomodar pessoas estrangeiras que já têm dez anos ou mais no país, mas há exceções, como os filhos de pessoas naturalizados no país que moraram fora.

  • Formulário de inscrição padrão. Isso também pode ser enviado online.
  • Bilhete de identidade estrangeira. Cartão de Família de um cidadão do país em questão ou Certificado do Registro Central de Estrangeiros ou do Registro de Cidadão da União.
  • Passaporte do país de origem em vigor.
  • Certidão de nascimento da parte interessada, devidamente traduzida e legalizada.
  • Atestado criminal do seu país de origem, traduzido e legalizado, de acordo com as convenções internacionais existentes ou o certificado de conduta consular emitido com base em consulta às autoridades competentes do país de origem.
  • Certidão de casamento, caso a pessoa que solicita a residência seja casada com um cidadão naturalizado no país. Caso seja brasileiro e esteja atrás dessa declaração, o requerente pode solicitar a certidão de casamento online.
  • Comprovante de pagamento da taxa.
  • Certificado de registro criminal do Registro Central de condenados. Pode ser substituído pela autorização para consultar o Ministério da Justiça no formulário de inscrição.
  • Diplomas do Instituto Cervantes Um teste de conhecimento constitucional e sociocultural (CCSE) e o teste de conhecimento do idioma devem ser realizados e aprovados. As pessoas que são nacionais de um país em que a língua oficial é a mesma, estão isentas do exame de acordo com os Regulamentos de nacionalidade por residência, passaporte válido ou certificado de nacionalidade que credencia a isenção.

O documento ou pedido de residência pode ser feito pessoalmente ou on-line no Ministério da Justiça, onde você também pode se informar no caso de ser um dos casos de exceção mencionados acima, bem como com os procedimentos indicados.

Para mais informações consulte o consulado ou embaixada de seu país, através do site, ligação ou de forma presencial.

Agora que já conferiu em nosso site como tirar a dupla cidadania, não perca tempo, obtenha a sua.